BP fecha acordo por vazamento de US$ 7,8 bi

Indenização a empresas e moradores não cobre processos em curso na Justiça dos EUA

DENISE CHRISPIM MARIN, CORRESPONDENTE, WASHINGTON, O Estado de S.Paulo

04 Março 2012 | 03h01

A petroleira BP concordou em pagar US$ 7,8 bilhões em indenizações às pessoas e empresas prejudicadas pelo vazamento de sua plataforma Deepwater Horizon, no Golfo do México, em abril de 2010. O acordo fechado na noite de sexta-feira, entretanto, não cobre todos os processos ainda em curso na Justiça dos Estados Unidos e terá de ser submetido, amanhã, à aprovação da Corte Distrital de Nova Orleans.

O vazamento de 4,9 milhões de barris de petróleo, ao longo de 86 dias, atingiu pelo menos cinco Estados americanos e foi o maior acidente ambiental da história dos EUA. Oito parques nacionais e cerca de 16 mil espécies de aves e animais marinhos foram afetados. A causa foi uma explosão na plataforma, que causou a morte de 11 pessoas. Na época, o governo suspendeu toda a exploração de petróleo no Golfo do México, mas a retomou depois de seis meses.

O Departamento de Justiça dos EUA processou a BP e outras empresas envolvidas no vazamento por danos econômicos e ambientais e abriu uma investigação criminal, ainda sem conclusão. Na sexta-feira, depois de anunciado o acordo, deixou claro haver ainda haver um longo caminho a ser seguido para a total compensação da petroleira as vítimas do acidente.

"Os EUA vão continuar a trabalhar de perto com os cinco Estados do Golfo para assegurar que toda resolução para a aplicação de lei federal e a compensação por danos causados por esse desastre ambiental sem precedentes seja justa, correta e capaz de restaurar o Golfo", afirmou o Departamento de Justiça, por meio de comunicado.

Segundo a BP, sediada em Londres, o acordo poderia "resolver a parte substancial das perdas econômicas legítimas e das reclamações relativas à saúde" causadas pelo acidente. "Acho que todo mundo deve ficar feliz com o acordo, sem dúvida", disse um dos advogados da petroleira, Mike Papantino.

A companhia alega já ter pago mais de US$ 8,1 bilhões em compensações para indivíduos, empresas e entidades do governo e gasto cerca de US$ 14 bilhões com a limpeza das águas. Os recursos para o pagamento dos US$ 7,8 bilhões em indenizações e dos processos ainda a serem julgados virão de um fundo de US$ 20 bilhões, especialmente criado pela empresa na época do acidente para essa finalidade. Hoje, esse caixa dispõe de cerca de US$ 9,5 bilhões. A BP vem investindo em massiva propaganda na televisão americana para contornar a erosão de sua imagem na opinião pública.

No dia 20 de abril de 2010, uma falha no equipamento de prevenção de vazamentos na plataforma Deepwater Horizon, operada pela petroleira britânica BP no Golfo do México, causou uma explosão que matou 11 funcionários e fez vazar cerca de 750 milhões de litros de óleo e 6 milhões de litros de dispersantes químicos.

O vazamento, que chegou a mobilizar 48 mil pessoas para a limpeza, demorou 86 dias para ser contido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.