Bradesco tem lucro recorde no 2o trimestre

O Bradesco teve lucro recorde de2,302 bilhões de reais no segundo trimestre, impulsionado pelavenda do investimento na siderúrgica Arcelor Brasil e de parteda empresa de informações de crédito Serasa. O resultado final de abril a junho contabiliza itensextraordinários que geraram contribuição líquida de cerca de501 milhões de reais. Sem esses efeitos, o lucro recorrente doBradesco foi de 1,801 bilhão de reais, em linha com a previsãomédia de analistas, conforme pesquisa Reuters. O lucro trimestral recorrente cresceu 12,4 por cento nacomparação com o mesmo intervalo de 2006, quando o maior bancoprivado do país teve ganho de 1,602 bilhão de reais. O retorno sobre o patrimônio líquido médio da instituição,importante indicador da rentabilidade de um banco, foi de 28,9por cento no segundo trimestre, considerando o lucro ajustado.Esse índice ficou estável em relação aos primeiros três mesesde 2007. Os principais motores do desempenho recorrente no segundotrimestre foram os serviços (que responderam por 28 por centodo lucro), o crédito (24 por cento do ganho) e a área deseguros, previdência e capitalização (31 por cento). "A economia no primeiro semestre mostrou recuperação... Nãohá sinais de que esse crescimento seja interrompido. Apesar dasdeficiências de infra-estrutura, as expectativas são muitofavoráveis", afirmou em teleconferência com jornalistas opresidente do Bradesco, Márcio Cypriano. O executivo minimiza o impacto no Brasil das turbulênciasnos mercados financeiros globais pela crise no mercadoimobiliário de alto risco nos Estados Unidos, que tem motivadobaixa nas bolsas de valores. "Eu diria que é um movimento temporário. Rapidamente omercado se ajusta. A gente já viu outras crises externas, masos fundamentos da economia brasileira são muito favoráveis eesses eventos não trazem mais problemas para o Brasil." MAIS CRÉDITO A carteira de crédito total do Bradesco --considerandoavais, fianças e cartões de crédito-- atingiu 130,819 bilhõesno encerramento de junho, crescimento de 22,9 por cento em umano. As operações com pessoas físicas totalizaram 49,832 bilhõesde reais (com crescimento de 21,9 por cento), enquanto asoperações com pessoas jurídicas atingiram 80,987 bilhões dereais (com avanço de 23,5 por cento). A performance do crédito às empresas, sobretudo de pequenoe médio portes, fez o Bradesco revisar a previsão decrescimento da carteira total de crédito para entre 21 e 27 porcento em 2007. A estimativa anterior era de 20 a 25 por cento. Apenas no segmento de empréstimos para pessoa jurídica aexpectativa do Bradesco agora é de aumento de 19 a 24 por centono ano. A previsão original era de expansão entre 17 e 22 porcento. O resultado bruto da intermediação financeira do Bradesconos três meses encerrados em junho foi de 4,360 bilhões dereais, ante 3,835 bilhões de reais no mesmo intervalo do anopassado. A inadimplência nas operações vencidas há mais de 90 dias,considerando toda a carteira de crédito, permaneceu estável noperíodo de abril a junho pelo terceiro trimestre consecutivo,em 3,6 por cento. O banco espera manutenção ou até eventualqueda desse percentual nos próximos trimestres. O banco encerrou junho com ativos totais de 290,568 bilhõesde reais, expansão de 24,7 por cento em 12 meses. No acumulado do primeiro semestre, o Bradesco teve lucrolíquido inédito de 4,007 bilhões de reais, incluindo itensextraordinários, ante resultado positivo de 3,132 bilhões dereais de janeiro a junho de 2006.

CESAR BIANCONI, REUTERS

06 de agosto de 2007 | 15h07

Tudo o que sabemos sobre:
MANCHETESESPBANCOSBRADESCORESULTS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.