Brasil aguarda posição mexicana sobre acordo automotivo

O governo brasileiro aguarda uma resposta do México para concluir a negociação de revisão do acordo automotivo que vigora entre os dois países desde 2002, disse à Reuters o secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Alessandro Teixeira.

REUTERS

02 Março 2012 | 15h30

O Brasil, que ameaça romper o pacto depois de um déficit de 1,7 bilhão de dólares sofrido com o acordo em 2011, quer ampliar a exigência de conteúdo local mexicano para as importações do parceiro comercial, além de um sistema de cotas para as exportações de veículos do México ao país. O país também cobra a inclusão de veículos pesados nos novos termos.

"A bola está com eles", afirmou Teixeira nesta sexta-feira, argumentando que a revisão do acordo não deve ser interpretada como uma medida protecionista por parte do governo brasileiro.

"É uma questão de agregação de produção local. Isso é bom para o México e é bom para o Brasil", disse Teixeira, evitando dar mais detalhes sobre as discussões e afirmando que espera a resposta do governo mexicano nos próximos dias.

O secretário de economia do México, Bruno Ferrari, afirmou na quinta-feira que as negociações podem ser finalizadas na próxima semana e que o país está disposto a renegociar o acordo "sob termos de reciprocidade" .

Segundo Brasília, para exportar veículos ao México via acordo o Brasil atende uma exigência de conteúdo local nos automóveis de 60 por cento, enquanto a exigência mexicana para seus exportadores é de 30 por cento.

(Por Luciana Otoni)

Mais conteúdo sobre:
AUTOSBRASILMEXICOAUTOMOVEIS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.