Brasil confirma três novos casos de gripe H1N1; total vai a 31

O Ministério da Saúde confirmou nesta sexta-feira mais três casos de gripe H1N1, elevando para 31 o número de contaminados no país. Em um dos novos casos, houve transmissão do vírus de pessoa para pessoa. Os casos suspeitos são 42.

REUTERS

05 Junho 2009 | 16h10

Os novos casos foram confirmados nos Estados de Santa Catarina, Tocantins e São Paulo, de acordo com comunicado do ministério.

O paciente de Tocantins é um adulto que esteve no exterior e está internado pois apresentou sintomas antes da aprovação das novas medidas para tratamento de pacientes da gripe. O caso de São Paulo também se refere a um adulto que esteve no exterior. O paciente está em isolamento domiciliar. Ambos passam bem.

Em Santa Catarina, a contaminação se deu por contato com outra pessoa que havia contraído a doença no exterior. O paciente está em isolamento domiciliar e passa bem.

Este é o oitavo caso de transmissão autóctone (dentro do território nacional) da doença no país. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), outros 23 países registraram este tipo de contaminação.

Apesar da nova confirmação autóctone, o Ministério da Saúde considera que não há evidências de transmissão sustentada do vírus de pessoa a pessoa no país.

"A transmissão no Brasil é limitada... tendo em vista que todos esses casos têm vínculo epidemiológico com casos importados", disse o ministério em nota.

Com os três novos casos, subiu para 31 o número de infectados pela gripe H1N1 no país, sendo 13 em São Paulo, sete no Rio de Janeiro, cinco em Santa Catarina, dois no Mato Grosso e outros dois no Tocantins. Minas Gerais e Rio Grande do Sul tiveram um caso cada.

O número de casos suspeitos subiu de 41 para 42. Outros 405 foram descartados.

Na segunda-feira, o Grupo Executivo Interministerial para Pandemia de Influenza (GEI) aprovou novos procedimentos para tratamento de pacientes infectados pelo vírus H1N1.

As novas medidas incluem a internação apenas de pacientes com sintomas graves, com risco de óbito ou doenças anteriores. Pacientes fora deste quadro serão medicados e ficarão em isolamento domiciliar.

Após reunião de emergência, a OMS decidiu manter nesta sexta-feira o nível de alerta de pandemia da nova gripe na fase 5, em escala de seis níveis.

O novo vírus infectou cerca de 21.900 pessoas em 69 países e causou 125 mortes, segundo dados da OMS.

(Por Hugo Bachega)

Mais conteúdo sobre:
GRIPEBRASILTRINTAEUM*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.