Brasil deixa em aberto plano de mais 4 plantas

A continuidade do programa nuclear no Brasil não é uma unanimidade dentro do governo federal. Na quinta-feira, enquanto o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, defendia no Rio a continuidade dos projetos de construção de novas usinas no Brasil, o presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, afirmava em São Paulo que há sim uma reavaliação do programa.

Kelly Lima, O Estado de S.Paulo

18 de setembro de 2011 | 00h00

No Brasil, há duas usinas em operação, uma em construção - a usina nuclear de Angra 3, que deverá ficar pronta em 2015 - e outras quatro em planejamento. Após o acidente de Fukushima, o governo deixou claro que prosseguiria com as obras de Angra 3, mas colocou em dúvida a construção de quatro novas usinas.

"Hoje o Brasil tem uma situação energética muito boa. Temos tempo para decidir sobre investimentos no setor", disse Tolmasqui.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.