Brasil diz que não definiu apoio a candidato para Banco Mundial

O Ministério da Fazenda informou nesta sexta-feira que o Brasil ainda não definiu apoio a um candidato para a presidência do Banco Mundial, embora estivesse no grupo que indicou o ex-ministro das Finanças da Colômbia José Antonio Ocampo.

REUTERS

23 Março 2012 | 22h12

"O Brasil não tem definido o seu apoio a um candidato, ainda tem que avaliar os nomes que foram colocados", disse um porta-voz do ministério à Reuters.

"Os nomes colocados são bem vistos, mas ainda vai se discutir com outros países. Temos que ver qual é o programa dos candidatos e seus compromisos."

Nesta sexta-feira, o Banco Mundial disse que recebeu três indicações à presidência da instituição: a do reitor da Universidade de Dartmouth, Jim Yong Kim, a da ministra das Finanças da Nigéria, Ngozi Okonjo-Iweala e a de Ocampo.

Mais cedo, duas fontes disseram que o Brasil indicou Ocampo para o cargo.

O ministério ressaltou que o brasileiro Rogério Studart representa um grupo com 8 países latino-americanos e as Filipinas, e que ele nomeou o colombiano em nome da República Dominicana.

(Reportagem de Alonso Soto)

Mais conteúdo sobre:
MACROBRASILBM*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.