Brasil e Argentina terão fórum privado para disputa comercial

Brasil e Argentina decidiram criar um fórum de empresários para resolver os problemas do comércio bilateral, e a iniciativa deve ser anunciada na sexta-feira pelas presidentes Dilma Rousseff e Cristina Kirchner, informou o governo na quinta-feira.

REUTERS

28 de julho de 2011 | 21h19

As mandatárias vão tratar das recentes dificuldades no campo comercial, mas não devem se aprofundar na questão durante a visita oficial que Cristina fará a Brasília na sexta-feira.

A aposta dos dois países é de uma solução empresarial para evitar que mercadorias brasileiras e argentinas fiquem presas nas fronteiras aguardando as licenças de liberação que deixaram de ser automáticas.

Em maio, o Brasil decidiu impor barreiras à importação de veículos por meio de licenças não-automáticas, afetando principalmente envios de produtos da Argentina, que criticou fortemente a medida.

O grupo de empresários dos dois países ainda não está fechado, mas é certo que haverá representantes dos setores automotivo, têxtil, calçadista, de serviços e construção civil.

A secretária de Comércio Exterior do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Tatiana Prazeres, afirmou à Reuters que o fórum funcionará nos moldes do Fórum de CEOs Brasil-Estados Unidos.

"A diferença é que nos outros fóruns se leva em conta apenas o volume de comércio para definir os integrantes. No caso do fórum Brasil-Argentina também serão incluídas empresas de menor porte, mas que tenham enfrentado problemas no comércio bilateral", explicou.

Tatiana disse que a relação comercial entre Brasil e Argentina é boa no geral, mas reconheceu que "há dificuldades pontuais em alguns setores".

Pelas contas do ministério, as exportações brasileiras para o país vizinho cresceram 33 por cento no primeiro semestre deste ano na comparação ao mesmo período do ano passado.

"O Fórum com a Argentina faz todo sentido, considerando que é o nosso terceiro maior parceiro comercial e tende a superar os Estados Unidos e alcançar o segundo posto", disse.

A secretária afirmou ainda que a primeira reunião entre empresários brasileiros e argentinos deve ocorrer neste semestre, mas que deve haver aproximação de alguns setores já na visita oficial da presidente argentina nesta sexta-feira.

A corrente comercial entre Argentina e Brasil somou em 2010 cerca de 32 bilhões de dólares, sendo superavitária em 4 bilhões de dólares para Brasília.

(Reportagem de Jeferson Ribeiro)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROCOMERCIOARGENTINA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.