Brasil e Indonésia fecham acordo de cooperação em biocombustível

Os presidentes da Indonésia e do Brasilconcordaram no sábado que as duas nações em desenvolvimento,sede de grande parte das florestas tropicais restantes, vãocooperar em programas de biocombustíveis após discussões sobremudanças climáticas e alimentos. As nações assinaram um acordo para que a Indonésia envieespecialistas ao Brasil para estudar a tecnologia dosbiocombustíveis, disse o presidente da Indonésia, SusiloBambang Yudhoyono. "O Brasil tem sido bem-sucedido na produção de etanol, e éclaro que a Indonésia pode aprender com sua pesquisa e seusdesenvolvimentos", disse Yudhoyono em uma entrevista coletivaapós negociações com o presidente brasileiro, Luiz Inácio Lulada Silva. O Brasil, pioneiro no uso em grande escala de etanol emveículos, vem misturando o combustível produzido a partir dacana-de-açúcar com gasolina há décadas, assim como abastecegrande parte de seus veículos com etanol puro. A Indonésia, o maior produtor de óleo de palmeira do mundo,também vem impulsionando o uso de biocombustíveis para reduziro uso de derivados do petróleo e quer tornar obrigatório o usode 2,5 por cento de mistura de biodiesel até setembro. O setor de biocombustíveis vem sendo atacado por gruposambientalistas por acelerar a destruição das florestas,enquanto alguns analistas o culpam por contribuir com o aumentodo preço internacional dos alimentos por utilizar terras quepoderiam ser destinadas à produção de alimentos. O presidente brasileiro defende os biocombustíveis e acusaespeculadores internacionais de contribuírem com o atualaumento de preços de alimentos e combustível. "Primeiro de tudo, não é a produção de etanol ou debiocombustível que é responsável pelo aumento no preço dacomida", disse Lula. Os problemas com alimentos podem ser amenizados por umacordo na rodada de Doha, que dê acesso para produtos agrícolasao mercado internacional, afirmou Lula. O presidente brasileiro também disse que países ricosdeveriam fazer mais para reduzir as emissões de gases de efeitoestufa, responsáveis pelo aquecimento global. "Ninguém quer preservar nossas florestas mais do que nós,mas os países que mais poluem têm que começar a discutir maisseriamente como reduzir as emissões de gases de efeito estufa",defendeu Lula. (Reportagem de Telly Nathalia)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.