Brasil é o quarto país mais desigual da América Latina, aponta ONU

O relatório foi divulgado nesta terça-feira, 21, pelo Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (ONU-HABITAT)

Felipe Werneck - Agência Estado,

21 de agosto de 2012 | 14h25

RIO DE JANEIRO - A redução da desigualdade é o principal desafio das cidades na América Latina, disse há pouco o representante do Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (ONU-Habitat), Erik Vittrup. O relatório "Estado das cidades da América Latina e do Caribe - 2012", divulgado nesta terça-feira, 21, mostra que a região tem 111 milhões de pessoas vivendo em favelas, ou um quarto da população. No período de vinte anos (1990-2010) aumentou em 5 milhões o número de habitantes dos chamados assentamentos precários.

Apesar da melhora na distribuição de renda nos últimos anos, o Brasil é o quarto país mais desigual, segundo o relatório, atrás da Guatemala, de Honduras e da Colômbia.

"Para as Nações Unidas, o principal desafio é desenvolver estratégias para combater a desigualdade. Sabemos que as cidades têm riqueza suficiente para reduzir essa situação", disse Vittrup.

O dinamarquês elogiou iniciativas de cidades brasileiras como o sistema de transporte público de Curitiba, o projeto UPP Social em favelas do Rio, o orçamento participativo em Porto Alegre e a política pública de atenção às mudanças climáticas em São Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
PopulaçãorelatórioONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.