Brasil garante vantagens a alunos de Medicina em Cuba

Depois de oito meses de discussões, o governo brasileiro conseguiu a primeira vitória para aprovação no Congresso do acordo que torna automática a validação de diplomas de brasileiros formados na faculdade de Medicina de Cuba, Escola Latino-Americana de Ciências Médicas. Enviado para a Câmara dos Deputados sob a forma de mensagem presidencial, a confirmação do acordo oferece duas vantagens para estudantes brasileiros de Medicina que estudam naquele país. Profissionais que já completaram o curso podem complementar o currículo no Brasil, em universidades públicas e depois se submeter a uma prova. Para estudantes formados em outros países que não Cuba, é preciso que as disciplinas sejam estudadas na faculdade de origem do formando.Além disso, o acordo prevê a realização de convênios para que professores brasileiros sejam enviados à escola, onde duas disciplinas poderiam ser dadas especialmente para brasileiros: doenças tropicais e sobre o funcionamento do SUS. Para alunos formados com esse novo currículo, a validação do diploma seria automática.Embora seja considerado injusto pelo Conselho Federal de Medicina, o acordo é aplaudido pelo ministro da Saúde, José Gomes Temporão - que já faz planos para estudantes vindos de Cuba. Temporão enxerga nesses novos profissionais a solução para um problema que vem aumentando no País, a falta de interesse de médicos em ingressar no Programa de Saúde da Família (PSF). Ontem, o ministro afirmou que estudantes brasileiros em Cuba estão dispostos a integrar o programa, mesmo em lugares remotos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

AE, Agencia Estado

13 de setembro de 2007 | 10h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.