Brasil lidera números de cirurgias plásticas, segundo jornal

Segundo reportagem desta segunda-feira do jornal britânico The Guardian, o Brasil lidera a "plástica revolution". Os números foram divulgados durante o Congresso Internacional de Cirurgia Plástica, realizado no Rio de Janeiro. Segundo a BBC, a reportagem do diário londrino afirma que "cirurgia plástica deixou de ser tabu na sociedade brasileira. Celebridades falam abertamente na imprensa sobre as suas respectivas cirurgias faciais, redução de rugas e levantadas do bumbum". Os números exatos de cirurgias realizadas, segundo o jornal, são difíceis de serem encontrados. Mas já é possível fazer uma comparação entre o número de cirurgiões plásticos registrados no Brasil, cerca de 4 mil, com os americanos, que são 5 mil. Outra comparação feita é em relação às despesas de brasileiros e americanos com plásticas. Segundo a Sociedade para Cirurgia Plástica Estética, em 2005 os americanos gastaram cerca de US$ 12,4 bilhões com as operações. De acordo com os médicos presentes no Congresso, o Brasil não teria números muito distantes destes.Uma possível explicação para o crescente número de plásticas é citada pelo jornal. Segundo o cirurgião João Carlos Sampaio Góes, "o caso de amor com a plástica está fincado em três fatores: mentalidade, clima e legislação".

Agencia Estado,

07 de agosto de 2006 | 10h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.