Brasil: mais um título em temporada sensacional

Seleção masculina conquista o tricampeonato na Copa dos Campeões e encerra o ano com o retrospecto de 32 jogos e apenas uma derrota

NAGOYA, O Estadao de S.Paulo

24 de novembro de 2009 | 00h00

A seleção brasileira masculina de vôlei começou 2009 com um desafio: manter o perfil vencedor do grupo apesar do profundo processo de renovação comandado pelo técnico Bernardinho. Ontem, o time encerrou a temporada com um invejável retrospecto - 32 partidas e apenas uma derrota (para a Finlândia, na Liga Mundial) - e mais um título, o terceiro do ano, ao conquistar a Copa dos Campeões com uma vitória sobre o Japão por 3 sets a 0 (25/12, 26/24 e 25/22), em Nagoya.

O treinador comemorou o sucesso, porém foi comedido nos elogios. "Esses meninos mostraram personalidade, mostraram competência para herdar o legado dos outros dois ciclos", disse Bernardinho. "É um bom começo (de ciclo olímpico). Foi um ano vitorioso, mas temos muita coisa a fazer ainda. Hoje (ontem) comemoraremos, mas amanhã (hoje) já estaremos estudando, trabalhando para melhorar", ponderou.

A cautela no discurso do técnico tinha uma razão de ser. Anteontem, no penúltimo jogo da Copa dos Campeões, contra o Egito, a seleção venceu por 3 sets a 0, mas com certa dificuldade. Ontem, a atitude em quadra mudou, o que foi bom porque o time do Japão, que estava atuando diante de sua torcida, não facilitou, especialmente no segundo set, quando chegou ao empate por 24 a 24. O Brasil mostrou poder de reação e ganhou a segunda parcial, evitando uma incômoda igualdade em número de sets e abrindo caminho para o tricampeonato no evento.

PREMIAÇÃO

Além do título da Copa dos Campeões, o Brasil saiu de quadra com duas premiações individuais: Bruno foi escolhido o melhor levantador da competição e Serginho o melhor líbero. O primeiro dedicou o título aos colegas. "Sem meus companheiros eu não teria conquistado nada. É a primeira vez que ganho um prêmio individual numa competição internacional e estou muito feliz", afirmou Bruno, que também ressaltou o apoio da família, com destaque para o seu pai, o técnico Bernardinho.

Serginho mostrou bom humor ao falar de sua premiação, mais uma no currículo. "Essa conquista completa a festa", comentou. "A principal foi a do Bruno, que merece muito. Fico feliz por ele ser reconhecido. Agora, estou esperando mais um prêmio: aquele prato de feijão com arroz", disse o jogador, com saudade de uma boa comida brasileira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.