Brasil, no ''grupo da morte'' no Japão

A seleção brasileira feminina de vôlei terá muito trabalho para conseguir título inédito no Campeonato Mundial, em outubro, no Japão. Ontem, em Tóquio, no sorteio das chaves o técnico José Roberto Guimarães ficou sabendo que seu time terá adversários difíceis desde a primeira fase. No Grupo B, com sede em Hamamatsu, vai jogar contra Itália, Holanda, Quênia, Porto Rico e República Checa.

TÓQUIO, O Estadao de S.Paulo

25 de novembro de 2009 | 00h00

Zé Roberto evita falar em "grupo da morte", apesar da força dos primeiros rivais. "É grupo forte e que vai exigir bastante do Brasil desde o início do campeonato", diz. Para o técnico, o time terá de lutar muito para chegar à final. Em 2006, conquistou o vice-campeonato - perdeu a decisão para a Rússia. Em 2010, Zé Roberto espera ganhar a única competição que falta ao currículo da seleção feminina.

A Itália e a Holanda são apontadas pelo treinador como candidatas ao pódio. "A Itália ganhou o Campeonato Europeu e a Copa dos Campeões neste ano e é equipe com jogadoras experientes", avalia. "Já a Holanda fez a final do Europeu e também conta com um grupo bastante forte e com grande experiência internacional." Porto Rico e República Checa "são duas seleções que dão trabalho".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.