Brasil piora em ranking de mortalidade infantil

O Brasil piorou no ranking de mortalidade infantil entre crianças com até cinco anos de idade, de acordo com relatório anual divulgado ontem pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), com números fechados de 2008. O País passou da 113ª para a 107ª posição no ranking dos países que têm as maiores taxas, e é apontado pela organização como o que apresenta um dos piores resultados entre as nações latino-americanas: 22 mortes por mil nascidos vivos. Na América Latina, o Brasil só fica em melhor posição em relação a Bolívia (61ª) e Peru (97ª). Entre os emergentes, o resultado do País só não é melhor que o da Rússia (125ª). China e Índia ficaram na 101ª e 49ª posições, respectivamente.Apesar da piora da posição brasileira, o número de mortes registradas no País vem diminuindo desde 1990. Nesse período, o País apresentou uma queda acumulada de 62%, de 58 para 22 entre cada mil nascidos. A melhora tem sido muito significativa em comparação aos outros países do ranking, o que fez o Brasil ir da 57ª para a 107ª posição em 19 anos.Os primeiros lugares do ranking de 194 países foram ocupados nessa edição do relatório por Serra Leoa (1º lugar) e Afeganistão (2º). Seis países registraram as taxas mais baixas e ocupam as últimas posições no ranking: Suécia, Islândia, Cingapura, Luxemburgo, Andorra e Liechtenstein. O relatório ainda aponta que as mulheres dos países subdesenvolvidos têm 300 vezes mais chances de morrer durante uma gestação do que as de países desenvolvidos.

GUSTAVO URIBE, Agencia Estado

15 de janeiro de 2009 | 16h51

Tudo o que sabemos sobre:
mortalidade infantilBrasilUnicef

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.