Brasil recebeu mais de US$4 bi entre dias 15 e 22 passados--BC

O fluxo cambial --entrada e saída de moeda estrangeira do país-- reverteu o resultado negativo e passou a registrar superávit em abril devido à forte entrada de divisas na semana passada pela conta comercial.

NATÁLIA CACIOLI E LUCIANA OTONI, Reuters

24 de abril de 2013 | 13h49

Segundo dados do Banco Central divulgados nesta quarta-feira, o fluxo ficou positivo em 4,112 bilhões de dólares entre os dias 15 e 22 de abril, revertendo o déficit de 3,002 bilhões de dólares na semana entre 8 e 12 de abril e levando o acumulado do mês para o saldo positivo de 1,110 bilhão de dólares.

O resultado de 15 a 22 veio do superávit da conta comercial de 5,390 bilhões de dólares e do déficit de 1,277 bilhão de dólares da conta financeira --por onde passam os investimentos estrangeiros produtivos, em portfólio, entre outros.

No acumulado do mês, até o dia 22, a conta comercial ficou positiva em 4,436 bilhões de dólares, enquanto a financeira ficou negativa em 3,326 bilhões de dólares.

Somente no dia 15 de abril, ainda segundo o BC, houve entrada líquida de 3,278 bilhões de dólares, devido ao saldo positivo de 3,773 bilhões de dólares pela conta comercial. O dólar, no entanto, não refletiu essa entrada e avançou quase 1,5 por cento, para 1,9975 real na venda nesse dia.

E o mesmo ocorreu nos dias seguintes, quando na maioria deles houve entrada de recursos externo sem que a moeda norte-americana perdesse força frente ao real.

Para analistas do mercado, uma explicação possível para esse movimento é que a forte aversão ao risco causada por dados de crescimento abaixo das expectativas na China e o atentado na maratona de Boston tenha ofuscado a entrada no mercado à vista de câmbio.

"O momento de aversão a risco deve ter feito esse fluxo ser absorvido rapidamente, não refletindo na cotação", afirmou o operador de câmbio do Banco Daycoval, Luis Fernando Gênova.

BALANÇA COMERCIAL

Segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic), a balança comercial brasileira registrou déficit de 2,271 bilhões de dólares na terceira semana de abril, no pior resultado semanal desde o início da série histórica, em 1998.

O chefe do Departamento Econômico do BC, Tulio Maciel lembrou que as contratações de câmbio comercial não correspondem ao fluxo físico das exportações das estatísticas do ministério, pois os embarques e desembarques acontecem em momentos distintos à operação de câmbio.

"Contratações do câmbio comercial foram relevantes... Esses são dados voláteis, mas indicam melhora das exportações à frente. Não é possível especificar os setores, mas sazonalmente agora é um período mais favorável para os embarques de produtos agropecuários", afirmou Maciel.

No ano, o fluxo cambial diminuiu consideravelmente o déficit, e agora está em menos de 1 bilhão de dólares.

O BC informou ainda que, também até o dia 22 de abril, os bancos tinham posição cambial vendida em 7,469 bilhões de dólares.

(Edição de Patrícia Duarte)

Tudo o que sabemos sobre:
BACENFLUXOABRIL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.