Brasil retomará programa de foguetes de sondagem

O Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento (Deped) da Força Aérea Brasileira (FAB) confirmou que o Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), distante 22 km de São Luís, realizará duas campanhas de lançamento de foguetes de sondagem neste ano. Estas serão as primeiras missões programadas desde 2004, quando os militares lançaram o primeiro protótipo do foguete VSB-30 e marcam a retomada do programa brasileiro de desenvolvimento de foguetes.A primeira missão deverá acontecer em setembro e servirá como o terceiro teste do foguete de sondagem VSB-30 (o segundo teste aconteceu no ano passado, em um centro de lançamento norueguês). Esta missão foi batizada de operação Cumã II. O segundo lançamento ainda não tem data marcada. Está em discussão qual o modelo de foguete que será usado.De acordo com o tenente-brigadeiro Carlos Augusto Leal Veloso, diretor do Deped, para a segunda missão de 2006 poderá ser usado um VS-40, um VS-30 ou um outro VSB-30. Os três tipos de foguete cogitados usam combustível sólido. O primeiro modelo é um foguete de sondagem que leva grande cargas e foi desenvolvido para testar o motor S-40, que equipa o primeiro estágio do veículo de lançamento de satélites brasileiro, o VLS-1. Até hoje, só foram realizadas duas missões com este tipo, ambas a partir do CLA.Já o VS-30 foi planejado para ser o foguete padrão do programa espacial brasileiro no final dos anos 90, e é apontado como o modelo de maior sucesso projetado e fabricado no País. Este modelo já foi lançado dos dois centros de lançamentos brasileiros em operação hoje - Alcântara e Barreira do Inferno, em Natal. O terceiro modelo cogitado, o VSB-30, é um desenvolvimento do VS-30. Os engenheiros acoplaram um motor "buster" ao propulsor S-30, o que resultou em um veículo com maior capacidade de carga, planejado como um tipo para exportação. Hoje, o VSB-30 está sendo oferecido à Agência Espacial Européia (ESA). "Estamos negociando a troca de foguetes como um primeiro passo", comentou Veloso. Para realizar estas duas missões não será necessária nenhuma construção nova, uma vez que a torre universal média, usada para lançar veículos de sondagem, não foi afetada pelo acidente com a torre móvel de integração do VLS-1 em agosto de 2003, mesmo estando localizada apenas há 300 metros do sítio do lançador de satélites brasileiro. Desde fim dos anos 90 que o Deped não planejava tantas missões como foguetes brasileiros para o CLA em um único ano. Apenas em 2002, o CLA realizou duas campanhas, lançando um foguete VS-30/Orion, desenvolvido em conjunto com a Agência Espacial Alemã (DLR/Moraba). Este lançamento aconteceu durante a noite, no final de novembro. A segunda missão daquele ano aconteceu em dezembro e foi a única campanha de lançamento do programa de pesquisa em microgravidade. Na ocasião, os militares lançaram um foguete VS-30, porém houve problemas na separação da carga útil e missão acabou fracassando.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.