Brasileiro desaparece durante rave na Suíça

Autoridades brasileiras e suíças tentam localizar o estudante Matheus Henrique Marioto, 23 anos, que desapareceu no sábado, dia 2, quando participava da festa de música eletrônica Street Parade 2014, em Zurique, na Suíça. O rapaz foi visto pela última vez antes de entrar no lago Zurichsee, em cujas margens era realizada a festa - que todos os anos reúne milhares de jovens de toda a Europa.

CHICO SIQUEIRA, ESPECIAL PARA A AE, Estadão Conteúdo

07 Agosto 2014 | 14h56

"Ele teria entregue a carteira, a camiseta e o celular para um amiga, que depois não o viu mais", disse Luiza Sandra Bastos Vidal, 46 anos, mãe de Matheus. "A amiga achou normal não encontra-lo porque havia muitas pessoas no lago e fora dele e achou que ele estivesse na multidão", disse Luiza.

Segundo ela, seu filho, que morava na cidade alemã de Aachen, onde trabalhava como estagiário em tecnologia de comunicação da empresa Code4business, lhe telefonou no sábado para avisa da viagem à Suíça. "Ele tinha o sonho de conhecer todos países da Europa. Na semana anterior, tinha ido à Bélgica e agora aproveitaria a festa para conhecer a Suíça", contou Luiza, cuja família mora em Assis (SP).

Matheus era do programa de mestrado do Instituto de Biociência, Letras e Ciências Exatas (Ibilce), da Unesp de São José do Rio Preto, onde estudava Ciências da Computação. Por meio da agência de intercâmbio Aiesec, ele conseguiu o estágio na Alemanha, para onde se mudou em junho.

Segundo Luiza, um dos intercambistas da Aiesec foi quem ligou no domingo, 3, perguntando se ela tinha informações do filho, que não dava notícias havia 24 horas. "Entrei em desespero, porque meu filho sempre foi muito responsável e estava esperando ele me mandar as imagens da viagem", contou.

Segundo Luiza, o rapaz viajou a Zurique em uma excursão com amigos da Aiesec. O ônibus retornou a Alemanha, deixando dois brasileiros em Zurique para avisar as autoridades e ajudar nas buscas. As autoridades suíças publicaram fotos de Matheus nos jornais locais, mas ele não tinha sido localizado até a manhã desta quinta-feira, 7.

A Aiesec informou que a excursão não era patrocinada pela agência e que o estudante estava em viagem pessoal, acompanhado de amigos. "Solidários com o ocorrido, os escritórios da Aiesec da Alemanha, Suíça e Brasil estão ajudando na comunicação entre a embaixada brasileira em Zurique, as autoridades locais e a família do rapaz".

A Unesp também divulgou nota, na qual informa que soube do desaparecimento na terça-feira, e "embora não seja responsável pelo intercâmbio, em solidariedade à família, vem prestando apoio, inclusive colocando a assistente social do campus de São José do Rio Preto à disposição neste momento difícil."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.