Brasileiro está preso há 2 anos nos EUA sem julgamento

Um brasileiro de 39 anos está preso preventivamente no Estado americano do Arizona há mais de dois anos, sem previsão para ser julgado, acusado de ter molestado os filhos. Ele nega o crime. Para responder ao processo em liberdade, Ricardo Azevedo Souza Costa teria de pagar US$ 75 milhões de fiança. Parentes mantinham sigilo sobre o caso, apesar de recorrer à ajuda de autoridades consulares brasileiras. Agora, decidiram contar a versão deles da história. A Justiça do Arizona e a ex-mulher de Costa não responderam aos pedidos de entrevista.

AE, Agência Estado

13 de abril de 2011 | 11h02

O brasileiro era um jovem de classe média de São Paulo que decidiu seguir a carreira de modelo e foi ao Japão, onde conheceu a americana Angela Denise Martin. Os dois se casaram em 1993 e se estabeleceram no Arizona, onde Costa abriu uma pequena empreiteira. Tiveram dois filhos e uma filha, que têm 15, 12 e 8 anos. Em 2007 começou processo de divórcio litigioso. Os meninos passaram a frequentar uma psicóloga, a quem teriam dito que o pai os molestava.

No fim de 2008, Costa foi preso. A Justiça, de acordo com a defesa, deveria tê-lo julgado em 150 dias. Para responder em liberdade, além de pagar US$ 75 milhões de fiança, em dinheiro, ele poderia assinar um termo de confissão. Costa se recusa porque nega ter molestado os filhos. A fiança, uma das mais elevadas da história americana, também é inviável. Enquanto isso, ele não pode ver as crianças.

Quem mantém contato com ele quase diariamente é o irmão, Rafael Azevedo Souza Costa, que vive nos EUA. Para a família, a acusação dos meninos contra o pai é má influência da psicóloga. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.