Brasileiro inicia sua missão no espaço

O tenente-coronel Marcos Pontes, de 43 anos, tornou-se nesta quarta-feira o primeiro brasileiro a alcançar o espaço. Às 23h39 (horário de Brasília), a nave Soyuz TMA-8, onde ele se encontra, entrou na órbita terrestre.Os quatro propulsores foram acionados nove minutos antes, às 23h30, apenas um minuto depois do previsto pela agência russa, Roskosmos. Como há nove horas de diferença entre Brasília e Baikonur, no Casaquistão, onde ocorreu o lançamento, já era manhã quando a base ficou cheia de fumaça e luz.Na ponta do foguete estavam Pontes, o comandante russo Pavel Vinogradov e o engenheiro de vôo americano Jef-frey Williams. Os dois permanecerão na Estação Espacial Internacional (ISS), o destino da missão, pelos próximos seis meses. O brasileiro retorna para a Terra no dia 8, em companhia da atual tripulação da ISS.O lançamento ocorreu de acordo com o previsto e foi bem-sucedido, disse Valeri Lindin, porta-voz do Centro de Controle de Vôos Espaciais da Rússia. ?Os sistemas da Soyuz TMA-8 funcionam perfeitamente, e o estado de saúde dos cosmonautas é satisfatório?, disse. ?Estou muito emocionada?, disse a mulher de Pontes, Fatima, com lágrima nos olhos. ?Estou muito, muito feliz.?Passados 540 segundos do lançamento, a Soyuz alcançou a ?órbita de ajuste?. A partir desse momento, a nave começa um vôo autônomo, eleva paulatinamente a altitude e descreve uma trajetória elíptica de quase dois dias, que tomará 32 voltas ao redor do planeta.A nave se acoplará ao módulo russo Zvezda no sábado. Em caso de falha do sistema automático, Vinogradov conduzirá a manobra manualmente. Pontes deverá dar início no mesmo dia às experiências brasileiras que conduzirá em sua estada.VésperaPouco antes de seguirem para a nave, horas antes do lançamento, os três falaram rapidamente com as comitivas de seus países, já vestidos com os trajes espaciais. ?Não somos apenas uma tripulação. Somos amigos, damos apoio mútuo e temos confiança em cada um?, afirmou Vinogradov. ?Quero agradecer a todos que nos ajudaram no treinamento para este lançamento?, disse Pontes.Ele e seus colegas tiveram um período de tranqüilidade ontem antes de partirem.?Estamos incrivelmente calmos. É algo que só podemos explicar pelo fato de estarmos prontos?, disse Williams. Os três tripulantes e seus reservas deram uma entrevista coletiva na manhã de ontem separados dos jornalistas por um vidro, para evitar qualquer tipo de contaminação antes do lançamento.O astronauta brincou com a superstição: esta é a 13ª expedição à ISS e, ontem, um eclipse do Sol foi observado em várias partes do mundo, inclusive no Brasil e no Casaquistão. ?Creio que é uma coincidência bastante interessante. Muitos perguntam sobre o número 13, o eclipse e o alinhamento dos astros. Acho que tudo está se alinhando para uma boa missão.?O brasileiro passou os últimos cinco meses na sede da Roskosmos para se adaptar à nave Soyuz, uma vez que todo seu treinamento anterior como astronauta foi feito na Nasa, em aparelhos americanos.O cerimonial de lançamento das naves russas tem muito dos atos do primeiro homem a ir para o espaço, o russo Yuri Gagarin. Ele usou as mesmas instalações e partiu da mesma base de lançamento. ?Gagarin é um ídolo para mim. Aqui tive a oportunidade de ver os locais onde passou e treinou, e também pude conhecer como a nação encara sua personalidade?, disse Pontes. A missão recebeu o nome de Centenário em homenagem ao vôo de Alberto Santos Dumont, há 100 anos, no 14-BIS.

Agencia Estado,

29 de março de 2006 | 23h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.