Brasileiros e chineses identificam o menor réptil voador

Pesquisadores do Museu Nacional, ligado à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), apresentaram ontem a menor espécie de pterossauro já encontrada no planeta, o Nemicolopterus crypticus, réptil voador que tinha só 25 centímetros de envergadura. O Nemicolopterus foi identificado com base em um fóssil completo encontrado na China. A caracterização científica foi feita por pesquisadores brasileiros e chineses e descrita em um artigo publicado na Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS), editada pela Academia de Ciências dos Estados Unidos.A descoberta sugere uma nova teoria sobre a evolução dos pterossauros, parentes dos dinossauros que foram extintos há 65 milhões de anos. O Nemicolopterus contrasta com outros animais desse tipo cujos ossos já encontrados indicam medidas de até 10 metros de uma asa à outraO paleontólogo Alexander Kellner, do Departamento de Geologia e Paleontologia do Museu Nacional, explica que a descoberta dá elementos para a teoria de que os grandes répteis alados que habitaram a Terra e se alimentavam de peixes foram resultado da evolução de pequenos animais como o Nemicolopterus, que vivia em copas de árvores e provavelmente se alimentava de insetos. Ele acrescenta que a descoberta indica que pterossauros também habitavam o interior dos continentes, e não apenas a costa.O fóssil que deu origem à descoberta foi encontrado por pesquisadores chineses em 2004, na localidade de Luzhougou, na província chinesa de Liaoning. A região é hoje uma das mais procuradas por paleontólogos de todo o mundo por causa da intensa atividade vulcânica que propiciou a formação de muitos fósseis na juventude da Terra. O esqueleto do Nemicolopterus foi encontrado numa rocha do período Cretáceo, de 120 milhões de anos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

AE, Agencia Estado

12 de fevereiro de 2008 | 09h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.