Brasileiros em Benghazi aguardam ansiosos retirada da Líbia

Grupo de funcionários de construtora brasileira, seguem retidos na cidade de Benghazi aguardando remoção que está sendo providenciada pela embaixada do Brasil em Trípoli.

BBC Brasil, BBC

22 de fevereiro de 2011 | 11h36

Em entrevista pelo telefone à BBC Brasil, Marcos Jordão, diretor para o norte da África da construtora brasileira Queiroz Galvão disse que os 130 brasileiros empregados pela empresa estão bem e aguardam a remoção da Líbia que está sendo providenciada pela embaixada do Brasil.

"O grupo (183, incluindo também os funcionários de nacionalidade portuguesa) está dividido entre uma casa - aqueles com a família no país - e um hotel - os solteiros".

Jordão disse que apesar dos rumores que circulavam, a revolta popular contra o governo do líder líbio Muammar Khadafi pegou de surpresa a embaixada brasileira e a própria empresa que há dois anos realiza obras de infraestrutura na região de Benghazi, a segunda maior da Líbia.

Ele acrescentou que na casa em que estão alojados os que estão com as famílias na Líbia, há suprimentos para 5 dias e que todos estão ansiosos para deixar o país.

Segundo ele aos poucos a cidade de Benghazi vai voltando ao normal e o comércio já abre pela manhã.

Benghazi foi palco de violentos confrontos durante o fim de semana passado.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.