Braskem deve rever investimentos a partir de 2013,diz presidente

A Braskem, maior petroquímica das Américas, deverá rever investimentos a partir de 2013 devido ao atual cenário econômico, mas mantém o valor estimado para este ano, de 1,7 bilhão de reais, segundo o presidente da empresa, Carlos Fadigas, nesta teça-feira.

Reuters

14 de agosto de 2012 | 13h24

"O número de 2012 nós confirmamos e vamos manter. A questão mais importante é de investimentos para frente. São esses, não os de 2012, que vamos ver de forma mais criteriosa", disse em coletiva de impressa sobre os resultados de segundo trimestre divulgados nesta manhã .

Fadigas também afirmou que espera uma melhora no terceiro trimestre tanto de vendas quanto de rentabilidade, devido a fatores sazonais e à melhora no spread internacional (relação entre volume de venda e preços de resinas).

"Tem o efeito da sazonalidade que todo o ano acontece. No Brasil você tem a coincidência do verão e as festas de fim de ano, isso traz concentração de vendas de resina no segundo semestre... No somatório cerca de 55 por cento das vendas é na segunda metade do ano", disse o executivo.

Sobre os preços de matérias-primas, Fadigas afirmou que houve uma queda no fim do primeiro semestre, mas que os valores já começaram a se recuperar, o que, juntamente com o maior volume de vendas, deverá melhorar a rentabilidade da empresa.

Às 13h17, as ações da Braskem exibiam alta de 2,14 por cento, enquanto o Ibovespa mostrava oscilação negativa de 0,06 por cento.

(Por Roberta Vilas Boas)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.