Brazil Pharma reduz prejuízo no 4o tri, abrirá 100 lojas em 2012

A Brazil Pharma anunciou na noite de segunda-feira que fechou o quarto trimestre com prejuízo de 208 mil reais, bem abaixo da perda de 16,4 milhões sofrida um ano antes.

REUTERS

20 Março 2012 | 11h42

Em 2011 como um todo, a holding de farmácias do banco BTG Pactual apurou lucro de 5,5 milhões de reais, revertendo prejuízo de 23,3 milhões no ano anterior.

As ações da companhia exibiam alta de 1,44 por cento às 11h32, enquanto o Ibovespa mostrava queda de 1,3 por cento.

Já em termos ajustados, a companhia teve lucro líquido de 14 milhões de reais entre outubro e dezembro, contra ganho de 4 milhões de reais um ano antes. No fechado de 2011, o lucro líquido ajustado somou 45,8 milhões de reais, comparado a 20,1 milhões no ano anterior.

A geração de caixa operacional medida pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ficou em 22,4 milhões de reais no trimestre e em 70,9 milhões de reais no ano, contra 9,9 milhões e 44,4 milhões na comparação anual.

A margem Ebitda, enquanto isso, aumentou de 4,8 para 6,2 por cento em 2011.

MAIS LOJAS

No quarto trimestre, a Brazil Pharma viu sua receita líquida mais que dobrar, para 300,6 milhões de reais, ante 120,1 milhões no mesmo intervalo em 2010. Em todo o ano passado, a receita saltou de 161,5 milhões para 1 bilhão de reais.

A companhia encerrou 2011 com 378 lojas próprias, sendo que 86 foram abertas em 2011, superando o plano inicial de 75 novas lojas. Para este ano, a empresa prevê a abertura de 100 unidades.

Com isso, a Brazil Pharma ocupou a terceira posição em número de lojas no setor farmacêutico no Brasil em 2011, ano em que adquiriu as redes Big Ben e Sant'ana.

"Nosso foco para 2012 será a intensificação do processo de integração de nossas plataformas... acreditamos que existam diversas oportunidades de crescimento e ocupação de mercado nas regiões onde atuamos", afirmou a empresa no balanço.

(Por Vivian Pereira)

Mais conteúdo sobre:
BRAZILPHARMARESULTS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.