BRF e Sadia elevam lucros em meio à valorização do real

Os lucros da Brasil Foods, ex-Perdigão, e de sua futura controlada Sadia tiveram forte alta no segundo trimestre do ano, com o impacto positivo da valorização do real frente ao dólar sobre a posição financeira das duas companhias.

REUTERS

14 Agosto 2009 | 21h03

O lucro líquido da BRF totalizou 129,3 milhões de reais, ante 75,9 milhões no mesmo período do ano passado, "mesmo diante de um cenário ainda adverso principalmente para as exportações".

"Em função da valorização do real em relação ao dólar as receitas financeiras líquidas da BRF atingiram, no trimestre, 167,6 milhões de reais, ante 32 milhões de reais no período anterior", informou a companhia em comunicado.

Já a Sadia registrou lucro de 346 milhões de reais no segundo trimestre, aumento de 124 por cento sobre igual período do ano passado, com um resultado financeiro líquido de 607,1 milhões de reais, aumento de mais de 9 mil por cento ante o segundo trimestre de 2008.

A antiga Perdigão registrou faturamento líquido de 2,7 bilhões de reais, queda de 5 por cento na comparação anual, e a Sadia teve receita operacional líquida de 2,5 bilhões de reais, redução de 1,4 por cento

As duas companhias, que estão em processo de associação e já deverão registrar resultados de forma conjunta no próximo trimestre, também registraram redução no Ebitda, um importante indicador de geração de caixa.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) da BRF somou 133 milhões de reais, queda de 43 por cento ante o do mesmo período de 2008, já o da Sadia foi de 248 milhões de reais, ante 287 milhões no segundo trimestre do ano passado.

VOLUME DE VENDAS

As vendas externas de carnes, principal produto das companhias, registraram quedas, com a BRF reduzindo os volumes para 285,4 mil toneladas, baixa de 2,2 por cento ante o segundo trimestre do ano anterior.

As receitas com exportações de carnes da BRF sofreram queda de 3 por cento, para 1,2 bilhão de reais, com uma redução mais expressiva nas vendas de processados.

O mercado externo da Sadia também encolheu no mesmo período, 12,3 por cento, para 274,3 mil toneladas, e as receitas obtidas caíram 13,9 por cento, para 1,23 bilhão de reais.

As vendas de carnes no mercado interno da BRF também sofreram, caindo 8,4 por cento, para 181 mil toneladas, com o faturamento somando 992 milhões de reais, alta de 2,4 por cento.

Já a Sadia teve um aumento de vendas de carnes no mercado nacional, de 15,2 por cento, para 296,3 mil toneladas, gerando receita de 1,74 bilhão de reais, alta de 15,5 por cento.

"Este aumento tanto na receita quanto no volume se deveu à estratégia de beneficiar o mix e a marca dos produtos Sadia, visando à geração de resultados. Os preços médios praticados também cresceram 7,8 por cento no semestre e 4,3 por cento no trimestre", afirmou a empresa.

(Reportagem de Marcelo Teixeira e Roberto Samora)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.