Bristol adiciona remédio a consórcio de patentes de drogas para AIDS

A Bristol-Myers Squibb irá compartilhar direitos de propriedade intelectual sobre um importante medicamento para HIV/AIDS em um consórcio de patentes projetado para tornar tratamentos mais amplamente disponíveis em países pobres.

Reuters

12 de dezembro de 2013 | 08h50

O acordo de licença permitirá que empresas de medicamentos genéricos em todo o mundo fabriquem versões acessíveis do atazanavir, que a Bristol vende sob o nome Reyataz, e combiná-lo com outros medicamentos para tornar o tratamento mais fácil.

O acordo anunciado nesta quinta-feira pela Medicines Patent Pool (Consórcio de Patentes de Medicamentos, em tradução livre), uma organização apoiada pela ONU, é o primeiro que cobre um medicamento contra HIV que foi projetado para uso depois que os pacientes desenvolvem resistência aos tratamentos iniciais.

A Organização Mundial da Saúde estima que mais de 1 milhão de pessoas estarão em tais tratamentos secundários até 2016 e muitos mais necessitarão de acesso a esses remédios no futuro.

(Por Ben Hirschler)

Tudo o que sabemos sobre:
BRISTOLAIDS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.