Britânico nada no Pólo Norte para alertar sobre aquecimento

Homem quebra recorde de nado em baixas temperaturas vestindo apenas uma sunga

BBC Brasil, BBC

16 Julho 2007 | 07h44

O nadador britânico Lewis Gordon Pugh, de 37 anos, completou neste domingo, 15, o desafio de percorrer um quilômetro a nado nas águas gélidas do Pólo Norte para alertar o mundo para o aquecimento global. Lewis, que realizou a travessia em 18 minutos e 50 segundos, suportou uma temperatura de menos 1,8ºC, a mais baixa que um ser humano já enfrentou a nado. Vestindo apenas uma sunga, toca e óculos, o nadador quebrou o recorde dispensando roupas térmicas para enfrentar o frio. O atleta nadou no meio de uma rachadura que se abriu em um dos enormes blocos de gelo do Pólo Norte e disse que, apesar de sua travessia ter sido um triunfo, é uma "tragédia" poder nadar num local antes coberto completamente pelo gelo. Ao descrever o momento em que mergulhou, Lewis Gordon disse que a água estava totalmente escura. "Foi como pular num buraco negro, foi amedrontador. A dor foi imediata, insuportável, senti meu corpo pegando fogo e quase desisti em alguns momentos", conta. Ele disse que espera que seu esforço "inspire líderes globais a tratarem o aquecimento global com mais seriedade". "Há dez anos seria impossível nadar no Pólo Norte. É profundamente lamentável que seja possível agora por causa dos efeitos devastadores das mudanças climáticas", disse. Durante as diversas aventuras que viveu nos últimos anos ao nadar pelas águas da Antártica e do Oceano Ártico, o nadador enfrentou tubarões, crocodilos e hipopótamos. Suas habilidades para enfrentar baixas temperaturas lhe renderam o apelido de "urso polar". BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Mais conteúdo sobre:
Lewis Gordon Pughpólo norte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.