Bruno volta a chorar durante julgamento em MG

Por volta das 16h55 desta terça-feira o goleiro Bruno Fernandes chorou no Fórum de Contagem (MG). Ao lado de Dayanne Rodrigues, ele assiste à reconstituição dos últimos dias de Eliza Samudio em seu sitio feita por seu primo Sergio Rosa Sales, que acabaria sendo assassinado em 2012 num crime que, segundo a policia, foi passional. Dayanne permanecia impassível. O advogado Lúcio Adolfo entregou um lenço para o goleiro enxugar as lágrimas.

AE, Agência Estado

05 de março de 2013 | 17h35

A mãe de Eliza, Sonia Moura, deixou mais cedo a sala do júri, amparada por sua advogada. Ela começou a chorar durante a exibição de entrevistas da filha e depois do Jorge Luiz, que denunciou na época do crime que a modelo havia sido asfixiada e seus restos mortais jogados para cães. Os vídeos estão sendo exibidos a pedido da Promotoria.

Bruno é acusado da morte da ex-amante Eliza, de 24 anos. A ex-mulher do jogador é acusada de sequestro e cárcere privado do bebê do atleta com Eliza.

Tudo o que sabemos sobre:
Caso Brunojulgamento2º diachoro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.