Burocracia freia cirurgia e bebê morre

Um recém-nascido com problema cardíaco morreu anteontem em Goiânia, após não receber tratamento pelo SUS por entraves burocráticos. O menino, Bruno Castro Oliveira, estava no Hospital Materno Infantil, mas os médicos descobriram que seu estado era grave e uma cirurgia urgente, em outra unidade, era necessária. Ao não conseguir a liberação da cirurgia, o pai, Danilo, buscou o Ministério Público no sábado e montou com dois promotores um processo. "Acontece que era final de semana e não conseguiríamos nada", diz.

, O Estado de S.Paulo

22 de setembro de 2010 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.