Bush diz que o Irã é uma ameaça à segurança mundial

O presidente dos EUA, George W. Bush,disse neste domingo que o Irã ameaça a segurança em todo omundo ao apoiar "extremistas" e pediu que seus aliados no GolfoÁrabe "enfrentem o perigo antes que seja tarde demais". Falando em Abu Dhabi, terceira parada em sua visita aosaliados árabes, Bush disse que o Irã muçulmano xiita é o maiorpatrocinador mundial do terrorismo e acusou o país de minar apaz ao apoiar o grupo guerrilheiro Hezbollah no Líbano, o grupopalestino islâmico Hamas e os militantes xiitas no Iraque. "As ações do Irã ameaçam a segurança das nações em todo omundo. Assim os Estados Unidos estão reforçando nossos antigoscompromissos de segurança com nossos amigos no Golfo e reunindoamigos em todo o mundo para enfrentar o perigo antes que sejatarde demais", disse ele em seu discurso de abertura. "O Irã é hoje o Estado que mais patrocina o terror. Enviacentenas de milhares de dólares a extremistas em todo o mundoenquanto seu povo enfrenta repressão e dificuldadeseconômicas", disse ele. Voltando a temas familiares que foram o núcleo da abordagemde Bush durante seus sete anos na Casa Branca, o presidenteelogiou os esforços de democratização no mundo árabe e convocouseus aliados a adotarem a abertura política e econômica. No início do dia, Bush visitou a Quinta Frota da Marinhados EUA no Barein em meio a tensão com o Irã sobre o incidenteno qual Washington diz que seus navios foram ameaçados noestreito de Ormuz. Os Estados Unidos dizem que em 6 de janeiro embarcaçõesiranianas ameaçaram seus navios de guerra ao longo de uma rotavital para o transporte de petróleo da maior região produtorado mundo. O vice-almirante Kevin Cosgriff, comandante da QuintaFrota, deixou claro para Bush que suas tropas encararam oincidente "mortalmente a sério", disse a porta-voz da CasaBranca, Dana Perino, aos repórteres. "Todas as pessoas nas Forças Armadas lembram o queaconteceu no passado, como o USS Cole", disse ela, referindo-seao ataque do navio de guerra norte-americano no Iêmen em 2000por um barco cheio de explosivos. Durante uma parada em Israel no início da visita de Bush aoOriente Médio na semana passada, ele advertiu o Irã das "sériasconsequências" no caso de um ataque a navios norte-americanos edisse que todas as opções estão na mesa. Teerã minimizou o incidente como um evento rotineiro eacusou os Estados Unidos de exagerá-la para efeito depropaganda. "Nós agimos com comedimento e anunciamos muito calmamenteque se tratava de um procedimento de rotina, mas eles tentaram... levantar um problema no momento em que o senhor Bush visitaa região para mostrar uma imagem negativa do Irã", disse oporta-voz do Ministério do Exterior do Irã, Mohammad AliHosseini, aos repórteres. (Com reportagem adicional de Fredrik Dahl no Irã)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.