Butantã rastreia inseto pelo desenho da asa

Recentemente, pesquisadores do Laboratório de Parasitologia do Instituto Butantã descobriram uma ferramenta de baixo custo para rastrear a origem dos Aedes aegypti. Ao observar os desenhos das asas dos insetos, concluíram que esses padrões geométricos podem revelar de onde vem cada mosquito e ajudar a compreender os mecanismos de dispersão da doença.

O Estado de S.Paulo

28 de julho de 2012 | 03h05

"Já era possível rastrear mosquitos por meio da informação genética. Agora podemos fazer algo próximo, mas de um jeito mais barato", diz o pesquisador Lincoln Suesdek. A geometria da asa é como uma impressão digital que revela os graus de parentescos entre os mosquitos e indica o seu local de origem. / M.L.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.