Butantã terá de doar 10% das vacinas produzidas

O Instituto Butantã terá de doar 10% de sua produção de vacinas contra a gripe suína à Organização Mundial da Saúde (OMS). A agência alertou que a disseminação da gripe é ?inevitável? e que todos os países precisarão comprar a vacina. Mas alerta: não haverá para todos e 1,8 bilhão de doses já foram compradas por países ricos. Para a diretora-geral da OMS, Margaret Chan, a questão das patentes voltará ao centro dos debates.

AE, Agencia Estado

14 Julho 2009 | 08h57

Sem vacinas para todos, a OMS apresentou estratégias que poderão ser usadas: profissionais de saúde devem ser priorizados, além de pessoal do setor de infraestrutura essencial, como segurança e aeroportos. ?Eles são os mais expostos?, disse Marie-Paule Kieny, diretora de vacinas. A vacina fica pronta em outubro e deve chegar ao mercado em dezembro, após testes clínicos.

Dentro da OMS, o temor é de que chegue tarde, pois a segunda onda da gripe no Hemisfério Norte pode se iniciar com o inverno. Por isso, governos com recursos negociam com empresas. Em contratos já concluídos, a OMS estima que 1 bilhão de doses estejam comprometidas. O presidente do Butantã, Isaías Raw, afirma que ?vários produtores do mundo assumiram? o compromisso de doar doses à Organização Mundial da Saúde. As informações são do Jornal da Tarde.

Mais conteúdo sobre:
saúde gripe vacina

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.