Cabral: deslizamento é 'catástrofe humana e ambiental'

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral Filho (PMDB), referiu-se ao deslizamento no Morro do Bumba, em Niterói, como uma "catástrofe humana e ambiental". Ele fez as observações depois de visitar o local, onde 50 casas construídas sobre um lixão desativado desabaram na noite de ontem. "Foi uma tragédia de dimensão brutal. Eu fiquei muito impressionado e as informações não são de boa perspectiva. A dimensão é de uma catástrofe humana e ambiental", declarou o governador.

PEDRO DANTAS, Agência Estado

08 de abril de 2010 | 15h11

Cabral anunciou que o governo federal disponibilizou R$ 200 milhões para o Estado, sendo que 90 milhões para o Rio e R$ 110 milhões para os demais municípios atingidos pelas chuvas. Ele disse ainda que priorizará as cidades de Niterói e São Gonçalo, que concentram o maior número de vítimas no Estado.

O prefeito de Niterói, Jorge Roberto Silveira (PDT), afirmou "que não havia qualquer sinalização de que isso ocorreria". "O lixão estava desativado há 50 anos. Ninguém poderia imaginar. Lamentavelmente isto ocorreu e estamos estudando as causas e as consequências no entorno. Quando houve o primeiro deslizamento, a prefeitura estava atuando aqui. A prova disso é o nosso maquinário entre os escombros." Ele negou que a região fosse um loteamento da prefeitura, como alegaram alguns moradores.

Mais conteúdo sobre:
chuvasRioCabralNiterói

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.