Cabral exonera chefe de Relações Públicas da PM

O chefe do setor de Relações Públicas da Polícia Militar (PM), major Oderlei Santos Alves de Sousa, foi exonerado do cargo na manhã de hoje por decisão do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB). Ontem, o major havia minimizado a participação de policiais que não socorreram o coordenador do Afroreggae, Evandro João da Silva, assassinado na madrugada de domingo após um assalto, e ainda roubaram os pertences da vítima que os ladrões haviam levado. Também hoje, um morador da Vila Cruzeiro, na Penha, na zona norte, foi ferido em uma operação policial.

CLARISSA THOMÉ E PEDRO DANTAS, Agencia Estado

23 de outubro de 2009 | 11h13

O porta-voz da PM havia dito que o capitão Denis Leonard Nogueira Bizarro e o cabo Marcos de Oliveira Salles não podiam "ser chamados de criminosos" e se referiu ao episódio como "desvio de conduta". O governador afirmou hoje que o major se comportou como advogado dos policiais e que este não era o seu papel.

Este é mais um episódio da crise de violência no Rio, deflagrada no sábado quando traficantes da facção Comando Vermelho tentaram invadir o Morro dos Macacos, na zona norte da capital fluminense, dominado pela quadrilha Amigos dos Amigos. A guerra pelo controle do tráfico de drogas já deixou 36 mortos em seis dias, segundo a PM, inclusive três agentes que estavam a bordo de um helicóptero da corporação derrubado pelos criminosos.

Hoje, um morador de 57 anos ficou ferido na perna durante o intenso tiroteio que ocorreu pela manhã na Vila Cruzeiro. Policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e do 16 Batalhão de PM (Olaria) ocuparam o local a procura de armas, drogas e do traficante Fabiano Atanázio, o "FB". Ele é acusado de liderar a invasão ao Morro dos Macacos. A PM também realiza operações em Manguinhos e na Favela do Jacaré.

Tudo o que sabemos sobre:
violênciaexoneraçãoPMRio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.