Cabral pede e Jobim recusa privatização do Galeão

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, fez um apelo ao ministro da Defesa, Nelson Jobim, pela privatização do aeroporto do Galeão, para resolver a "situação lamentável" principalmente do Terminal 1, mas não conseguiu arrancar um compromisso de levar a idéia adiante. A assessoria de imprensa do Ministério da Defesa informou hoje que não haverá uma solução isolada para nenhum aeroporto do País. Em telefonema a Jobim, Cabral pediu que fosse firmado um contrato entre a Infraero, estatal que administra os aeroportos, e a iniciativa privada, que ficaria responsável pela gestão do aeroporto internacional do Rio, por tempo determinado. A opção do governo federal, no entanto, é pela abertura do capital da Infraero, no limite de 49%, com venda de ações em bolsa, o que injetaria recursos na estatal e permitiria uma gestão mais ágil, com participação da iniciativa privada.As primeiras conclusões de técnicos do Ministério da Fazenda que trabalham em parceria com a Casa Civil indicam que a abertura do capital é viável e atrairia investidores. A conseqüência, diz o governo, seria a melhoria na infra-estrutura dos aeroportos com problemas.

LUCIANA NUNES LEAL, Agencia Estado

23 de janeiro de 2008 | 19h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.