Cabras e bocks, especialidades de Uwe

Ele trocou cargo de executivo por capril. Agora, faz uma boa cerveja

Roberto Fonseca, O Estado de S.Paulo

26 Julho 2007 | 01h20

Até cerca de três meses atrás, no sítio de Uwe Lüdke, em Santo Antônio do Pinhal (SP), o termo ''''bock'''' dizia respeito apenas ao rebanho caprino mantido na propriedade. Hoje, a palavra faz parte de outra ''''criação'''' iniciada pelo alemão: a de cervejas. É que o vocábulo germânico designa tanto bode quanto o famoso tipo de cerveja escura. Em 1999, ele trocou a vida de executivo em São Paulo pelo sítio Capralemão, onde faz queijo de cabra. Agora, se aventura a fazer a própria cerveja, batizada de Antoniusbier, em homenagem à cidade. O motivo? Ele diz que estava ''''cansado'''' de cervejas industriais. ''''Também é preciso fazer controle de qualidade todo dia'''', brinca. A produção mensal é de 160 litros, em três variedades. A mais interessante é a dunkel. Escura, tem 4,8% de teor alcoólico, aroma e gosto de malte torrado intensos, além de notas de lúpulo e um fundo de café. A weiss, de trigo, não possui aroma padrão de banana e cravo do estilo, mas compensa com bom buquê de malte. A pale ale, dourada clara, tem gosto suave de malte e lúpulo. As duas têm 4,7% de teor alcoólico. Experiência interessante, favorecida pelo clima local, é tomar a cerveja à temperatura ambiente. A espuma fica mais intensa e os sabores, mais marcantes. O Capralemão fica na Estrada do Machadinho, km 2. Informações: (12) 8124-3264.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.