Cachorro agredido tem mais de 20 candidatos a adoção

Em Sorocaba, cão foi enterrado vivo após ser agredido, e ganhou o nome de 'Highlander'

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agência Estado

12 de março de 2013 | 16h21

Um cão da raça pit bull que foi espancado e enterrado vivo em Sorocaba, no interior de São Paulo, já tem mais de 20 pretendentes à adoção. A médica-veterinária que cuida do cão de raça, Carolina Gutierres Pellizer, espera ele se restabelecer para destiná-lo a um novo lar. O cão, que vivia na rua, no Jardim São Conrado, zona norte da cidade, foi atacado e agredido com paus por um grupo de jovens, no sábado (09).

Moradores que acharam que o animal estivesse morto o enterraram parcialmente. Depois de quatro horas, começou a chover e o cachorro saiu da vala. Muito ferido, o bicho andava cambaleante e gania de dor. Compadecida, uma moradora o recolheu e ligou para clínicas veterinárias pedindo ajuda.

Carolina se dispôs a examinar o animal e, constatando que ele estava muito ferido e com traumatismo craniano, levou-o para um hospital veterinário. A recuperação foi tão rápida que Carolina passou a chamá-lo de ''Highlander'', uma referência ao filme O Guerreiro Imortal. O drama do animal foi parar nas redes sociais na internet. Habitantes de todo município se dispuseram a adotá-lo.

Segundo a médica-veterinária que cuida do cão, ''Highlander'' precisa de mais tempo para se recuperar. Por viver nas vias públicas, ele estava magro e tinha parasitas. Carolina afirmou acreditar que ele se reabilitará do afundamento no crânio sem necessidade de cirurgia. Nesta terça-feira, o pit bull foi submetido a exame de sangue. Conforme ela, o animal é dócil, mas está muito assustado. "Queremos alguém que o leve e possa cuidar bem dele", disse. A Polícia Militar Ambiental de Sorocaba registrou a agressão ao animal e tenta encontrar os autores. Os responsáveis por maus-tratos contra animais podem ser punidos com multa e até prisão de um a quatro anos.

Tudo o que sabemos sobre:
Cãoespancadoenterrado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.