Cade adia julgamento do caso BRF e ação da empresa sobe

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) decidiu adiar nesta quarta-feira o julgamento sobre a fusão entre Sadia e Perdigão, que deu origem à Brasil Foods (BRF).

REUTERS

15 Junho 2011 | 11h42

A medida atende a solicitação da companhia, disse o conselheiro do Cade Ricardo Ruiz, que na sessão da semana passada havia pedido vista do processo após o relator do caso, Carlos Emmanuel Ragazzo, votar pela reprovação do negócio que criaria a maior exportadora mundial de aves.

Com a decisão, a BRF ganha mais tempo junto ao órgão antitruste para tentar convencer os conselheiros de que o negócio é viável.

O julgamento será retomado no próximo dia 29, segundo a assessoria do Cade, já que há um feriado na semana que vem e não haverá sessão.

Após o Cade ter postergado o julgamento, as ações da BRF ampliaram a alta na bolsa paulista. Às 10h56, os papéis da companhia subiam 2,90 por cento, a 25,19 reais, contra queda de 0,41 por cento do Ibovespa. Na máxima até o horário, as ações da empresa chegaram a avançar 4,74 por cento.

A BRF considera que é prematuro falar em "remédios" para a aprovação pelo Cade, afirmou o vice-presidente de Assuntos Corporativos da BRF, Wilson Mello, após o adiamento.

Segundo ele, a companhia agora terá mais tempo para demonstrar aos conselheiros do Cade que pode existir solução para o caso. A BRF, disse ele, acredita que todos os argumentos para a operação já estão colocados no processo do órgão antitruste.

"Teremos um pouco mais de tempo para tentar demonstrar para os demais conselheiros que pode existir uma solução negociada", declarou Mello. Isso evitaria que o caso terminasse na Justiça.

(Por Leonardo Goy)

Mais conteúdo sobre:
COMMODSBRFCARNEATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.