O Estado de S.Paulo

15 de janeiro de 2013 | 02h07

Na semana passada, a superintendência do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) sugeriu que a atuação de 24 sindicatos, associações e conselhos de Medicina, durante paralisações do atendimento a pacientes de planos de saúde nos dois últimos anos, deve ser considerada como prática de crime econômico. Publicados na última semana, nove pareceres recomendam que as entidades sejam julgadas e condenadas pelo tribunal administrativo do conselho. As decisões reavivam uma polêmica iniciada há dois anos, quando a então Secretaria de Direito Econômico adotou medidas para proteger a concorrência e os direitos do consumidor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.