Câmara aprova apartamento popular maior em SP

Com o argumento de aumentar a acessibilidade dos deficientes físicos em conjuntos habitacionais populares, a Câmara Municipal de São Paulo aprovou ontem, em segunda discussão, projeto do Executivo que amplia de 50 m² para 67 m² o novo modelo de apartamento financiado pelo governo estadual e pela Cohab na cidade, mas não incluiu a obrigatoriedade de haver elevadores nos prédios.

AE, Agência Estado

24 de fevereiro de 2011 | 10h21

Os elevadores são uma das principais reivindicações de moradores em conjuntos habitacionais, que na capital têm até cinco andares. "Hoje nós votamos a metragem maior, para tornar a moradia mais digna, com corredor e banheiro maiores. Mas a instalação do elevador depende de um projeto à parte, que está em trâmite na Casa", disse o vereador governista Cláudio Fonseca, líder do PPS.

Nas arquibancadas da Câmara, moradores reclamaram. "Como podem dizer que o apartamento popular ficou mais acessível sem elevador? Como o cadeirante vai chegar no quinto andar para aproveitar os 17 metros a mais do seu imóvel?", disse Silvia Baptista da Silva, de 36 anos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.