Câmara suspende visitação por causa de protesto

Por causa da manifestação marcada para esta quinta-feira, 20, em frente ao Congresso Nacional, a visitação à Câmara dos Deputados foi suspensa e a entrada no prédio passa por um controle mais rigoroso da Polícia Legislativa. Segundo a assessoria de imprensa da Casa, obras de arte e presentes protocolares que ficavam em exposição no Salão Verde foram retirados por precaução, já que o protesto da última segunda-feira, 16, teve momentos de tensão e chances de invasão do interior do prédio.

DAIENE CARDOSO, Agência Estado

20 de junho de 2013 | 14h41

Ainda de acordo com a assessoria de imprensa, as Polícias Legislativas da Câmara e do Senado estão trabalhando em conjunto com a Polícia Militar do Distrito Federal. A decisão aconteceu após reunião durante a semana para discutir a tática de atuação para o protesto. "O objetivo é proteger a integridade física dos manifestantes, dos servidores e dos parlamentares e também preservar o patrimônio público", informou a assessoria.

Pela manhã, a Alameda dos Estados foi interditada e só as autoridades puderam acessar a entrada da Chapelaria. Os estacionamentos nas vias de acesso à Chapelaria, nas laterais do Eixo Monumental e nas faixas à esquerda das vias S1 e N1 também foram interrompidos com cones. Índios caiapós que pretendiam acompanhar uma audiência pela manhã chegaram a ser barrados pelos seguranças.

Às 15h, o presidente interino da Câmara, deputado André Vargas (PT/PR), se reunirá com os líderes dos partidos para discutir a conjuntura. Embora houvesse a expectativa de liberação dos servidores, a Casa não confirmou a informação e garantiu que haverá sessão não deliberativa a partir das 14h.

Tudo o que sabemos sobre:
protestosBrasíliaCongresso

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.