Camelôs são detidos com morteiros no Brás

Pela quinta madrugada seguida, a Polícia Militar teve de intervir nas ruas do Brás, região central de São Paulo, em razão de "excessos" cometidos por camelôs durante protestos. Às 6h45 desta sábado, cerca de 250 ambulantes que não têm autorização para montar a tradicional feirinha da madrugada bloqueavam parte da Rua Oriente e eram acompanhados de perto pela Tropa de Choque. Não houve registro de confrontos até o momento.

RICARDO VALOTA, Agência Estado

29 Outubro 2011 | 07h42

Por volta das 3h30, quatro de um grupo de 35 ambulantes abordados pelos policiais na esquina da Rua Oriente com a Rua Barão de Ladário foram flagrados portando cinco morteiros. O quarteto foi encaminhado para o 13º Distrito Policial, da Casa Verde, onde funciona a central de flagrantes da região. Segundo a Polícia Militar, os camelôs, todos regularizados, que trabalham no bolsão criado pela Prefeitura, conseguiram entrar no pátio durante a madrugada.

As duas primeiras manhãs, de terça-feira, 25, e quarta-feira, 26, foram as mais violentas. Os ambulantes, ao mesmo tempo em que faziam ameaças aos colegas regularizados, obstruíam as ruas da região, ateavam fogo em lixeiras, soltavam rojões e intimidavam os lojistas, forçando-os a manter as portas fechadas. Por causa da violência, ônibus fretados por sacoleiros vêm chegando à região com metade da capacidade.

Mais conteúdo sobre:
Camelôs ambulantes protestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.