Cameron corre risco de perder assento para partido anti-UE em meio a crise de confiança

Cameron corre risco de perder assento para partido anti-UE em meio a crise de confiança

A possibilidade prefigura uma possível reviravolta na eleição nacional de 2015

ANDREW OSBORN, REUTERS

20 Novembro 2014 | 10h01

O Partido Conservador do primeiro-ministro britânico, David Cameron, corre o risco de perder um segundo assento no parlamento para o Partido da Independência do Reino Unido (Ukip, na sigla em inglês), legenda anti-União Europeia, nesta quinta-feira, o que prefigura uma possível reviravolta na eleição nacional do ano que vem.

Diante do aumento da desconfiança nos principais partidos e do nervosismo em relação à imigração entre os eleitores da maior parte do país, quatro pesquisas de opinião indicaram que o Ukip irá vencer a eleição suplementar desta quinta-feira na região de Rochester e Strood, no sudeste inglês.

A votação foi convocada porque o parlamentar conservador Mark Reckless se demitiu após debandar para o Ukip, que defende a retirada imediata da Grã-Bretanha da UE e uma redução drástica na imigração.

Uma vitória de Reckless, que almeja reconquistar sua vaga para o novo partido, aprofundaria os temores de parceiros europeus de um possível rompimento britânico com o bloco, e seria um golpe duro em Cameron, que ordenou à sua legenda que mobilize todos seus recursos para manter Rochester, visitando a área cinco vezes antes da eleição.

Os resultados finais da votação, que se segue a uma eleição suplementar do mês passado na qual outro desertor conservador obteve a primeira vaga para o Ukip na legislatura, devem sair por volta da 1h de sexta-feira (horário de Brasília).

Mais conteúdo sobre:
REINOUNIDOELEICAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.