Camex adota antidumping a importações brasileiras de polipropileno e louça

A Câmara de Comércio Exterior (Camex) adotou direito antidumping às importações brasileiras de resinas de polipropileno da África do Sul, Coreia e Índia, e também às importações de louças vindas da China, segundo resoluções publicadas no Diário Oficial desta sexta-feira.

Reuters

17 de janeiro de 2014 | 07h42

No caso do polipropileno, porém, a medida é provisória e vale por até seis meses. A decisão, atende a um pedido feito pela petroquímica Braskem de abertura de investigação de prática de dumping nas importações brasileiras da resina.

Já o direito antidumping às importações de louça para mesa provenientes da China foi adotado por um prazo de até cinco anos, e ocorre após as empresas Oxford Porcelanas Studio Tacto terem pedido a abertura de investigação em 2012.

Para mais informações, acesse: http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?data=17/01/2014&jornal=1&pagina=4&totalArquivos=168

(Por Roberta Vilas Boas; Edição de Alexandre Caverni)

Mais conteúdo sobre:
EMPRESASCAMEXANTIDUMPING*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.