Caminhão-bomba mata dezenas na capital da Somália

Rebeldes ligados à Al Qaeda atacaram o coração da capital da Somália com um caminhão-bomba que matou pelo menos 65 pessoas em prédios públicos de Mogadíscio, no mais violento ataque do grupo desde o início da insurgência, em 2007.

ABDI SHEIKH E IBRAHIM MOHAMED, REUTERS

04 de outubro de 2011 | 09h02

Testemunhas disseram ter ouvido uma forte explosão numa área onde há vários prédios governamentais, no bairro K4, onde muitos estudantes faziam um exame nesta terça-feira. A polícia disse que um caminhão explodiu no portão de um complexo que abriga quatro ministério do governo.

"Retiramos 65 corpos e 50 feridos", disse o coordenador de ambulâncias Ali Muse à Reuters. "Ainda há alguns caídos por lá. A maioria das pessoas tem queimaduras."

Um repórter da Reuters disse ter visto nove corpos no local, que fica em um bairro controlado por forças do governo e da União Africana. Essa testemunha disse que muitos sobreviventes com queimaduras caminhavam até um hospital próximo, e que a polícia estava tentando retirar estudantes retidos nos escombros dos edifícios.

A Al Shabaab, ligada à Al Qaeda, assumiu a autoria do ataque. O grupo já vinha ameaçando cometer atentados contra prédios públicos desde que seus combatentes deixaram Mogadíscio, no começo de agosto.

"A Al Shabaab realizou esse ataque," disse à Reuters um porta-voz dos insurgentes. "Nosso alvo foram os ministérios."

(Reportagem adicional de Mohamed Ahmed)

Tudo o que sabemos sobre:
SOMALIAEXPLOSAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.