Camisinha é um dos três pilares para redução da doença

Preservativo combinado com microbicida, circuncisão e tratamento de doentes com antirretroviral formam uma combinação excelente para reduzir, de forma rápida, o avanço da aids no mundo, avalia o representante no Brasil do Programa das Nações Unidas para Aids, Pedro Chequer.

Lígia Formenti, O Estado de S.Paulo

30 de dezembro de 2010 | 00h00

A camisinha é considerada instrumento chave para prevenção. Mas estudos mostram que, quando associada a outros métodos, o risco de infecção pode cair ainda mais. Quanto mais pacientes tratados com antirretrovirais, por exemplo, menor a capacidade de transmissão. "Com a terapia há redução da carga viral", afirma Chequer.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.