Campos minimiza pouco crescimento nas pesquisas eleitorais

O candidato à Presidência da República pelo PSB, Eduardo Campos, minimizou nesta segunda-feira o fato de ainda não ter conseguido atrair parte dos votos que a ex-senadora Marina Silva, vice em sua chapa, obteve nas últimas eleições.

REUTERS

11 Agosto 2014 | 12h13

Campos disse que "não existe essa coisa de transferência de voto", ao ser questionado se havia uma "frustração" com o seu patamar de preferência do eleitorado.

"Você não tem um voto dentro de uma caixa e leva como se fosse uma mudança, que você arruma a roupa dentro de uma mala e leva. Não é assim", disse o candidato em sabatina organizada pelo site de notícias G1.

Campos ocupa o terceiro lugar nas pesquisas eleitorais recentes, oscilando em torno dos 10 por cento das intenções de voto.

Este é o mesmo patamar ocupado por Marina na mesma época nas última corrida presidencial, mas na reta final da campanha de 2010, no entanto, a ex-senadora deu uma arrancada e recebeu quase 20 milhões de votos.

Ao ter fracassado em sua tentativa de criar um partido político para concorrer às eleições deste ano, Marina aliou-se a Campos e ao PSB, sob a expectativa de que pudesse transferir parte dos votos obtidos em 2010 para o socialista.

(Reportagem de Maria Carolina Marcello)

Mais conteúdo sobre:
POLITICACAMPOSVOTACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.