Cancelados quase 40% dos voos internacionais no Brasil

Dos 58 voos internacionais previstos para ocorrer até as 10 horas desta manhã, 22 (37,9%) foram cancelados e 4 (6,9%) registraram atrasos superiores a 30 minutos, de acordo com a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). O principal motivo para os problemas é a presença de cinzas vulcânicas em boa parte do céu do Estado do Rio Grande do Sul, causada pela erupção, no sábado, do vulcão chileno Puyehue.

PRISCILA TRINDADE, Agência Estado

10 Junho 2011 | 10h53

As cinzas vulcânicas, segundo a Força Aérea Brasileira (FAB), estavam concentradas nesta manhã entre sete mil e dez mil metros de altitude. A área com ocorrência de nuvens com cinzas diminuiu, depois de chegar a cerca de 70% no Estado durante a madrugada. A camada também chegou a Florianópolis, em Santa Catarina. Se mantidas as atuais condições meteorológicas, a tendência é de que as nuvens sigam para o Oceano Atlântico. O monitoramento das nuvens é feito pelo Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA), que coordena as aeronaves para voar acima ou abaixo da camada.

Entre os aeroportos com o índice mais elevado de atrasos e cancelamentos está o Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, em que 8 dos 28 voos internacionais programados foram cancelados e um atrasou mais de 30 minutos. No Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, as 3 partidas internacionais previstas foram canceladas. No Aeroporto Hercílio Luz, em Florianópolis, a única decolagem internacional foi cancelada.

No Aeroporto do Galeão, na zona norte do Rio de Janeiro, metade das 14 partidas foram canceladas e uma decolou com atraso. Segundo a FAB, o Aeroporto Afonso Pena, em Curitiba, opera apenas para decolagens, em decorrência da meteorologia.

A companhia aérea Gol informou nesta manhã que restabeleceu suas operações em Florianópolis, Navegantes e Joinville, em Santa Catarina. Segundo a empresa, os voos já podem ser realizados pois estão dentro do padrão de segurança. Apesar disso, os voos com origem e destino em Porto Alegre, Caxias do Sul e Chapecó, no Brasil, Buenos Aires, na Argentina, e Montevidéu, no Uruguai, permanecem cancelados por conta do avanço das cinzas do vulcão chileno sobre o espaço aéreo dessas regiões.

A Gol continua contatando clientes com passagens marcadas para os voos que tiveram a programação alterada. A Central de Relacionamento está disponível nos números 0300 115 2121, no Brasil, 0810 266 3232, na Argentina e 5098 2403 8007, no Uruguai. A empresa disse que fornecerá informações adicionais assim que elas estiverem disponíveis.

A TAM cancelou seus voos para Porto Alegre ontem, às 21 horas. A companhia também vai continuar com seus voos suspensos para os aeroportos de Buenos Aires e Montevidéu pelo menos até ao meio-dia desta sexta-feira. Essas medidas são necessárias para garantir a segurança de clientes e tripulantes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.