Candidato a vice-presidente contesta apuração no Quênia

Um candidato a vice-presidente do Quênia pediu nesta quinta-feira a interrupção da apuração dos votos da eleição presidencial, pondo em dúvida a lisura de um processo que transcorreu de forma relativamente pacífica.

Reuters

07 de março de 2013 | 10h28

Kalonzo Musyoka, candidato a vice na chapa encabeçada pelo premiê Raila Odinga, salientou que não está fazendo um apelo para a mobilização popular e pediu que seus eleitores tenham calma e paciência.

A eleição presidencial anterior no Quênia, em 2007, desencadeou conflitos étnicos que mataram 1.200 pessoas. Na atual apuração, Odinga aparece atrás do candidato Uhuru Kenyatta.

Em entrevista coletiva, Musyoka disse que sua coalizão considera que "o processo de apuração da votação nacional carece de integridade e precisa ser interrompido e reiniciado usando documentos primários das seções eleitorais".

Ele disse ter indícios de manipulação nas atas eleitorais.

As autoridades dizem que o processo está correto e que o resultado não será comprometido por falhas no sistema eletrônico de totalização.

(Por Edmund Blair e Richard Lough, com reportagem adicional de Duncan Miriri e Yara Bayoumy, em Nairóbi; de Drazen Jorgic, em Mombasa; e de Hezron Ochiel, em Kisumu)

Tudo o que sabemos sobre:
QUENIAELEICAOCONTESTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.