Candidato governista à Presidência do Uruguai recupera apoio, revela pesquisa

A coalizão de esquerda Frente Ampla conteve sua queda nas intenções de voto para as eleições presenciais de 26 de outubro no Uruguai, embora um segundo turno ainda seria necessário contra o oposicionista Partido Nacional, criando um cenário incerto, de acordo com uma pesquisa divulgada nesta quarta-feira.

REUTERS

25 Setembro 2014 | 09h41

De acordo com a sondagem feita pela consultoria Cifra, o candidato governista, Tabaré Vázquez (Frente Ampla), que comandou o país entre 2005 e 2010, tem 43 por cento do apoio dos eleitores, ante 41 por cento em agosto, enquanto seu concorrente Luis Lacalle Pou ostenta 33 por cento, ante 32 por cento anteriormente.

Em terceiro lugar está Pedro Bordaberry, do direitista Partido Colorado, que manteve 15 por cento de respaldo popular. A variação das cifras dos principais candidatos se explica, principalmente, por uma queda dos indecisos para 5 por cento, ante 7 por cento em consultas anteriores.

“A mudança importante é que o candidato da Frente Ampla, que vinha caindo lenta, mas sistematicamente desde o começo do ano, parou de cair no mês passado, segundo essa pesquisa, e no último mês recuperou pontos percentuais de intenção de voto”, disse o diretor da Cifra, Luis Eduardo González.

O analista considerou que nenhum partido alcançará a maioria parlamentar e acrescentou que ainda não dá para prever o resultado do segundo turno, no último domingo de novembro.

(Reportagem de Esteban Farat)

Mais conteúdo sobre:
UGURUAIELEICAOPESQUISA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.