Canis britânicos ilegais criam pit bulls para briga

Instalações são na Irlanda do Norte; documentário da BBC mostra briga de cães.

BBC Brasil, BBC

05 de setembro de 2007 | 08h45

Uma investigação da BBC revelou a existência de uma rede de gangues britânicas criminosas que que fornecem cães da raça pit bull terrier para brigas - uma prática proibida por lei na Grã-Bretanha e Irlanda do Norte.Uma equipe do programa de televisão da BBC Panorama fez uma filmagem com câmera oculta e constatou que os cães são trazidos para a Grã-Bretanha com documentos falsos. Os repórteres se infiltraram no mundo clandestino das gangues durante 17 meses.Os cães são contrabandeados pela Europa para brigas organizadas, e a Irlanda do Norte é o centro da rede.Os pit bulls foram proibidos na Grã-Bretanha e na Irlanda do Norte em 1991, e a briga de cães é ilegal desde o século 19.As gangues criam, treinam e organizam eventos com os pit bulls, que não são registrados. Um cão dessa raça atacou Ellie Lawrenson, em St. Helens, no norte da Inglaterra, em dezembro, matando a menina de cinco anos. A equipe do Panorama conseguiu acesso a uma das maiores gangues da Irlanda do Norte, chamada Farmers Boys.Stephen Philpott, da Sociedade Protetora dos Animais da Irlanda do Norte (USPCA), disse que "o Farmers Boys é enorme (...) eles são o Manchester United do mundo da briga de cães", afirmou, numa referência a um dos times de futebol mais populares da Grã-Bretanha."Nos últimos 25 anos, eles desenvolveram parcerias em cidades do interior da Grã-Bretanha e agora estão vendendo seus cães a pessoas em Glasgow, Edimburgo, Manchester, Liverpool e Londres", afirmou.A repórter da BBC Mandy McAuley que participou da investigação jornalística, disse que as gangues se aproveitaram do fato de que a Irlanda do Norte tem uma fronteira com a República da Irlanda, onde não é ilegal ter um pit bull.A fronteira não é muito reforçada."Eles podem trazer cães de outros países para Dublin (capital da República da Irlanda) de avião e levá-los de carro para a Irlanda do Norte", afirmou.A equipe foi para a Finlândia e comprou um pit bull de um criador, que forneceu documentos que identificavam erroneamente a raça do animal.Eles também assistiram a uma briga de cães na Finlândia, que acabou na morte de um dos animais. Um cão gravemente ferido foi eletrocutado.A atividade tem finalidade comercial e envolve ainda grandes apostas em brigas. Algumas pessoas disseram que adoram "o esporte", numa descrição do enfrentamento de cães, segundo McAuley.Segundo a repórter, gangsters, além dos envolvidos nas brigas de cães, estão comprando os animais, que se tornaram um símbolo de status em algumas cidades do interior do país.Mesmo antes da morte de Ellie Lawrenson pelo cão de seu tio, as pessoas em Liverpool sabiam do que os cães são capazes, disse a repórter da BBC.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.